fbpx

7 Questões a fazer antes de adquirir um EV

Aqui está uma lista de fatores que você deve considerar antes de se tornar um proprietário de EV.
Se pretende fazer a mudança de um veículo tradicional, a combustão, para um veículo elétrico descobrirá um mundo novo. Conduzir um veículo movido a bateria tem muitas vantagens, particularmente custos operacionais e de manutenção mais baixos. Se pretende comprar um carro elétrico novo ou usado, vai querer resposta a algumas perguntas:
1. A autonomia do veículo é suficiente?
Com a atual geração de veículos elétricos a rondar os 320km de autonomia num único carregamento, a chamada ansiedade de autonomia é menos um fator a considerar. Ainda assim, você deve certificar-se de que o alcance do modelo em questão, seja, no mínimo, suficiente para suas atividades diárias de deslocamento e de fim de semana. Vale a pena superestimar suas necessidades em relação ao intervalo estimado de um EV uma vez que a autonomia, varia consoante o tipo de condução e de estrada.
Acaba por gastar mais autonomia na auto-estrada do que nas cidades. Também tem que saber que a autonomia varia consoante o tempo frio, o uso do aquecimento, AC, etc.. Uma pesquisa conduzida pela AAA descobriu que quando a temperatura desce para 7° C e o aquecedor do veículo está em uso, o alcance de um EV médio cai 41%. No verão também acontece uma perca de autonomia, uma média de 17% com o ar condicionado em execução.
2. O veículo satisfaz as minhas necessidades?
Como com qualquer tipo de veículo, você vai querer fazer alguma pesquisa para garantir que o carro elétrico que está a considerar adquirir é suficientemente espaçoso por dentro para você e a sua família. Verifique se há espaço de carga suficiente para compras semanais, equipamentos desportivos ou carrinhos de bebé. Escolha um modelo adequado ao seu orçamento e inclua todos os recursos necessários. E faça sempre um test drive completo para ver se é do seu agrado, se é confortável e se acha fácil de conduzir.
3. Onde e como posso carregar o meu veículo?
Embora o número de estações de recarga pública esteja crescendo, é muito mais conveniente – para não mencionar o mais barato – carregar um EV em casa. Pode simplesmente conectar o veículo a uma tomada padrão de 110 volts para o chamado nível 1 de carga, mas pode levar de oito a quase 24 horas. A melhor opção seria um eletricista instalar um serviço de 240 volts na sua garagem para acomodar o carregamento de Nível 2, que pode reabastecer uma bateria EV drenada em apenas quatro horas.
4. Existem postos de carregamento público perto de onde eu vivo ou trabalho?
Mesmo que você esteja comprando um dos modelos de maior alcance no mercado, haverá momentos em que você vai querer dar o seu EV um carregamento extra fora de casa. Os carregadores públicos são normalmente instalados em estacionamentos públicos, estacionamentos de shopping, em concessionárias de carros novos e até mesmo em algumas ruas urbanas.
Atualmente existem várias aplicações – IOS e Android, que facilitam a vida aos utilizadores de elétricos. Oferecem uma visão geral da rede de carregamentos de mobilidade elétrica em Portugal e permitem encontrar as estações mais próximas de si. Pode também simular as suas viagens para ter consciência da autonomia que necessita e através dos seus padrões de condução dá-lhe as mais variadas informações, como a indicação da bateria disponível ao final de um dia, a frequência de carregamento por semana, as suas poupanças e número de CO2 evitadas.
5. Que incentivos existem para ajudar na aquisição de um EV?
Desde 1 de janeiro de 2019, o incentivo do Estado para a aquisição de um veículo 100% elétrico novo passa para € 3 000 no caso de pessoas singulares (€ 2 250 para pessoas coletivas). Estão incluídos nesta categoria os veículos automóveis ligeiros de passageiros e de mercadorias novos, sem matrícula, exclusivamente elétricos, das categorias M1 e N1 conforme a classificação do Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT), devidamente homologados.
Os veículos de duas rodas (motociclos de duas rodas e ciclomotores) elétricos beneficiam de um incentivo de 20%, até € 400, e as bicicletas elétricas têm um incentivo de 250 euros.
A lei não permite a atribuição do incentivo a veículos 100% elétricos que tenham sido sujeitos a um processo de legalização de importação, ou seja, veículos 100% elétrico novos, sem matrícula, cujo primeiro registo tenha sido feito em nome do candidato, a partir de 1 de janeiro de 2019. Implica, ainda, que os beneficiários sejam obrigados a manter os veículos financiados por um período mínimo de 24 meses, ficando impedidos de exportá-los.
Os incentivos estão limitados pelo valor máximo de verbas atribuídas a este programa. Este ano, o valor total é de 3 milhões de euros, distribuído pelas bicicletas elétricas (€ 250 000), motas elétricas (€ 100 000) e carros elétricos (€ 2 650 000). Caso a totalidade da verba para bicicletas e motas não seja usada, passará para os carros. Em valor médio, as bicicletas terão um máximo de 1000 incentivos, os veículos de duas rodas terão 250 incentivos e os veículos de quatro rodas entre 880 e 1100 incentivos (dependendo se há mais registos de pessoas singulares ou coletivas). Os pedidos são ordenados de acordo com a data e a hora de submissão. Quando o número limite é ultrapassado, entram em lista de espera.
Deixam de estar elegíveis para este apoio os veículos ligeiros com custo superior a 62 500 euros.
6. Por quanto tempo faço intenções de ter um EV?
Quem pretende um relacionamento a longo prazo com um carro elétrico podem se preocupar com o custo de, eventualmente, substituir a bateria. Felizmente, as entidades responsáveis determinam que as células de energia de um EV sejam cobertas pela garantia por pelo menos oito anos ou 100.000 milhas. Por seu turno, a Hyundai estende isso à cobertura vitalícia da Kona Electric. No entanto, algumas montadoras cobrem apenas a bateria de um EV contra a falha total, enquanto outras, incluindo BMW, Chevrolet, Nissan, Tesla (modelo 3) e Volkswagen o substituirão se atingir uma percentagem específica de capacidade reduzida, que normalmente é de 60% -70 %, enquanto sob garantia.
Supondo que você possua um determinado EV ao ponto de que a bateria precise ser substituída, não é um componente barato para trocar. Uma bateria EV se degradará com o tempo, mas até agora não vimos relatos generalizados de EVs de gerações anteriores precisando de novas células de energia. Com os devidos cuidados, a bateria é essencialmente um componente de vida útil do veículo.
7. Quanto custa o seguro de um veículo elétrico?
Os custos de seguro para os EVs tendem a ser mais caros do que os veículos a combustão. As agências fixam os seguros em 21% a mais, em média, do que para modelos similares movidos a gasolina. Isso não significa que eles sejam menos seguros ou mais sujeitos a acidentes do que outros tipos de veículos. Pelo contrário, é porque os EVs têm preços mais altos do que as alternativas convencionais e geralmente o arranja é mais caro, especialmente por causa do valor alto das baterias.

Leave comments

Your email address will not be published.*



You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Back to top
× Como posso ajudá-lo?